Blog

Blog sobre mercado imobiliário, dicas de decoração, informações sobre financiamento de imóveis e muito mais. Confira!

Como viver bem em condomínio – GUIA COMPLETO

Como viver bem em condomínio – GUIA COMPLETO

Para que haja uma convivência harmoniosa entre condôminos, é preciso que haja um conjunto de regras e orientações de disciplina para balizar o dia a dia dos moradores. Todos nós sabemos que existir diferenças é normal, mas é necessário manter o respeito e o bom senso. Por conta disso, é preciso estar atento a todas as normas e práticas de bom senso, não é mesmo?

É isso que vai garantir que os vizinhos se respeitem e aprendam a viver em harmonia, evitando conflitos e dores de cabeça. Garantir a boa convivência exige que todos conheçam o regimento interno, as regras sobre animais de estimação e as dicas para que tudo corra bem.

Para ajudar você a entender melhor o assunto e a saber levar a convivência com mais leveza, preparamos esse post completo sobre boa convivência em condôminos, funcionário e visitantes. Confira!

Dicas de convivência: quais as melhores?

Viver em harmonia todos os dias nem sempre é tarefa fácil; seja em casa, no trabalho ou com os amigos. Com os vizinhos, então, as coisas não são diferentes. É normal, visto que somos pessoas distintas e que podem passar por dias bons ou ruins. Ainda assim, é necessário saber como conviver bem para garantir o respeito e a qualidade de vida de todos que vivem em um condomínio.

Para que tudo saia bem, os moradores devem respeitar o regimento interno do condomínio e tomar alguns cuidados para que a paz reine a todos os moradores.

Você mora em um condomínio, pretende se mudar ou quer resolver problemas e rusgas com algum vizinho? Então esse post é para você. Confira, agora, as principais dicas para uma convivência de harmonia e respeito.

Conheça as regras do condomínio

O primeiro passo para que tudo corra bem entre os moradores é conhecer a fundo o regimento interno do condomínio. Este é um documento que determina todas as regras que condôminos, profissionais e visitantes precisam seguir para que haja organização e respeito dentro do empreendimento. Nele é possível ver normas de uso das áreas comuns, o que é permitido, o que deve ser evitado e o que é proibido, servindo como base para a conduta de todos e de suporte na hora de reivindicações e reclamações.

Compareça às reuniões e assembleias de moradores

Outra forma de garantir a boa convivência com os vizinhos é comparecer, sempre que for possível, às reuniões de moradores. É nessa hora em que você vai poder esclarecer fatos, tirar dúvidas, falar sobre o que incomoda e pegar as principais informações sobre o dia a dia no condomínio. Além disso, você e os demais proprietários podem fazer reivindicações e sugerir mudanças nas regras e também nas penalidades aplicadas em caso de descumprimento.

Respeite os horários estipulados para silêncio

O barulho é um dos principais problemas entre a relação dos condôminos. Para evitar reclamações, respeite o horário de sono dos outros moradores. Em geral, a regra é de silêncio absoluto entre as 22h e 7h, mas ruídos excessivos que incomodam podem, sim, ser reclamados a qualquer hora do dia. Evite fazer barulho dentro do apartamento e deixe a música em volume tolerável e nos horários permitidos. No caso de reclamações, ouça com atenção e se coloque no lugar do outro, já que, muitas vezes, há enfermos, crianças ou idosos que precisam de repouso.

Veja as crianças como uma responsabilidade coletiva

Sabe quando as crianças se soltam da mão dos responsáveis e começam a correr pelo estacionamento? Quando isso acontecer, veja os pequenos como se fossem também sua responsabilidade. Basta que você se preocupe e zele pelo bem-estar das crianças para evitar acidentes e garantir a segurança de todos. Se você é o responsável, fique atento para que nada aconteça; nem nos brinquedos, nem nas brincadeiras com mais de uma criança.

Cuide da limpeza dos espaços do condomínio

No dia a dia, nas festas e nas reuniões, procure manter e contribuir com a limpeza do condomínio. Fique atento aos corredores, área da piscina, salão de festas e churrasqueira e sempre leve seu lixo para ser descartado no local correto. Caso algo precise de uma limpeza mais pesada, converse com os zeladores do condomínio e procure sempre deixar o local da mesma forma como foi encontrado. 

Siga as regras de uso das vagas de garagem

Se o condomínio onde você mora reserva uma vaga de garagem para cada apartamento, respeite a numeração para evitar problemas. Ainda que uma vaga esteja, aparentemente, sem uso, é imprescindível que só sejam utilizadas as unidades a que você tem direito. Caso haja vagas para visitantes, conheça as regras e avise quem for até sua casa. Outra coisa é cuidar para estacionar no espaço destinado, sem ultrapassar as linhas de divisão de vagas.

Saber como conviver bem com os vizinhos é essencial para que tudo corra bem no dia a dia de um condomínio. O ideal é seguir as regras, dialogar e sempre praticar o bom-senso. Assim fica fácil exercer a empatia e resolver conflitos de forma civilizada e sem a necessidade de penalidades.

Animais em condomínio: pode ou não pode?

Os pets são uma paixão mundial e a grande maioria das casas tem um para chamar de seu. A dúvida surge quando alguém quer criar um gato, um cachorro ou um papagaio em um prédio: afinal, animais em condomínio têm alguma restrição? A resposta é sim! A convivência e o dia a dia devem ser harmoniosos para todos. Por isso, embora todos tenham o direito de ter um pet, é preciso ficar atento a algumas regras.

Para ajudar você a entender melhor e fazer bonito na vizinhança, preparamos esse infográfico com o que é permitido e o que não é na hora de falarmos de animais em condomínio. Confira!

Você ou seus vizinhos podem ter animais em condomínio. O importante é ter bom senso e contribuir com a boa convivência de todos. 

Regimento interno: o que é?

É no regimento interno onde estão todas as normas internas de um empreendimento, principalmente relacionadas ao uso das áreas comuns e de lazer e horários para garantir o descanso de todos.

Por que o regimento interno do condomínio é importante?

O regimento interno é imprescindível porque ele estabelece todas as regras que os condôminos e funcionários devem seguir para que haja organização e respeito dentro do empreendimento. 

Sua importância também deixa claro o que é permitido, o que deve ser evitado e o que é proibido, servindo como base para a conduta de todos e de suporte na hora de reivindicações e reclamações.

O regimento interno do condomínio também prevê as penalidades e possíveis multas aplicadas no caso de descumprimento das normas do condomínio.

Por mais que pareça dispensável, o regimento contribui para que todos vivam em harmonia, ou seja, é uma burocracia necessária e que tem o objetivo de promover o bem-estar de todos. 

É uma forma, ainda, de facilitar o trabalho do síndico, que consegue avaliar e intermediar conflitos entre moradores com muito mais clareza.

O que deve estar no regimento interno?

Para que o regimento interno do condomínio seja eficiente e realmente contribua com a convivência entre moradores, visitantes e funcionários do prédio, ele deve definir, de maneira clara, objetiva e abrangente tudo o que diz respeito à conduta de quem está nas dependências do empreendimento. 

Por isso, ele deve conter: 

  • normas de uso de áreas de lazer, como piscina, salão de festas e salão de jogos;
  • horários para uso de áreas comuns do condomínio;
  • regras de reserva de espaços em comum e o que é permitido nessas dependências;
  • horário de silêncio, tanto no uso das áreas comuns, quanto dentro dos apartamentos;
  • regras para a circulação e a presença de animais de estimação, lembrando que não se pode proibir os condôminos de terem um pet;
  • regras para a realização de obras, como horários e dias permitidos;
  • regras para realização de mudanças, como horários e dias permitidos;
  • regras para acesso ao condomínio, tanto de visitantes quanto de entregadores;
  • normas para uso das vagas de garagem;
  • penalidades que serão aplicadas no caso de descumprimento das regras.

Como você pode perceber, este documento tem que ser o mais completo possível para que haja fundamentação na hora de reclamar ou reivindicar direitos.

O regimento pode ser alterado?

Sim, o documento pode ser alterado, desde que haja aprovação da maioria dos moradores e/ou proprietários das unidades habitacionais. Essa permissão está regida pela Lei 10.931 e toda mudança deve ser aprovada em assembleia, com convocação geral de todos os proprietários de apartamentos ou casas do condomínio.

E se o condomínio não tiver um regimento interno?

Tudo fica mais difícil quando o empreendimento não tem um documento que estabelece as normas de conduta dos moradores. Isso porque pode acontecer de um vizinho não ter o bom senso de desligar a música alta durante a madrugada, por exemplo, e alegar que não existe uma regra escrita. 

Isso dificulta, ainda, o trabalho do síndico, que não consegue expor as normas e precisa estar, a todo momento, informando os moradores a respeito dos seus deveres e direitos.

Saber o que é regimento interno do condomínio e entender todo o seu teor é essencial para quem pretende viver em harmonia com os vizinhos, por isso, antes de se mudar ou comprar apartamento, peça uma cópia ao síndico ou à construtora.

Viu como é importante seguir algumas regras para saber como viver bem condomínio e garantir a harmonia entre todos? Achou o conteúdo importante? Então compartilhe esse post em suas redes sociais!




Deixe seu comentário

Posts relacionados

Decoração de quarto: inspirações e tendências para 2021

Decoração de quarto: inspirações e tendências para 2021

26/07/2021 Leia agora Seta
Espelho para banheiro: 5 modelos e inspirações para a sua casa

Espelho para banheiro: 5 modelos e inspirações para a sua casa

05/07/2021 Leia agora Seta