Blog

Blog sobre mercado imobiliário, dicas de decoração, informações sobre financiamento de imóveis e muito mais. Confira!

Taxa IPCA: por que comprar imóveis em 2021

Taxa IPCA: por que comprar imóveis em 2021

A Taxa IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) engloba uma grande parcela da população e aponta a variação do custo de vida médio de famílias com renda mensal de 1 e 40 salários mínimos.

A pandemia causada pelo coronavírus causou uma crise econômica no país, entretanto, alguns setores mantiveram seu crescimento. Esse é o caso do setor imobiliário que continua aquecido. Um dos motivos é a redução da taxa IPCA.

A redução das taxas de juros dos financiamentos está diretamente relacionada com o valor da SELIC. O Banco Central já vinha com uma política de diminuir a taxa SELIC como uma forma de controlar a inflação e aquecer a economia.

Entretanto, no fim de 2020, com a pandemia de Covid-19 crescendo no Brasil, o desemprego e a diminuição do poder de compra da população, o Banco Central decidiu reduzir a taxa SELIC para 2,00% ao ano.

O que é a Taxa IPCA?

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é um dos indicadores econômicos mais importantes da atualidade. É através dele que é medida a inflação.

É medida mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ela é calculada a partir da variação dos preços de produtos e serviços para o consumidor final. Sendo que essa variação é a indicação da inflação no período.

Apesar de ter sido criada no final dos anos 1970, apenas em 2000 a taxa IPCA passou a ser utilizada pelo Banco Central. Hoje, ela é um dos índices aplicados em alguns modelos de financiamentos imobiliários.

IPCA taxa de juros

A taxa IPCA é utilizada nos financiamentos imobiliários para corrigir o valor das prestações conforme a inflação. Isso quer dizer que ela ajuda a calcular a taxa de juros total cobrada nos contratos de financiamento.

No caso, a SBPE IPCA taxa de juros funciona da seguinte forma: nesse modelo de contrato, os juros bancários variam entre 2,95% e 4,95% (dependendo do preço do imóvel, prazo, valor da entrada, etc.). A eles é somada a taxa IPCA de cada mês e o valor é aplicado a parcela.

Amortização + (taxa de juros + IPCA) = valor mensal da parcela.

Dessa forma, os valores pagos pela parcela vão variar segundo a inflação. Se a inflação subir muito, as parcelas ficam mais caras, se a inflação diminuir, as parcelas ficam menores.

Com a redução da SELIC para 2,00% ao ano em 2020, a inflação se manteve sob controle e as taxas de juros (incluindo a taxa IPCA) foram reduzidas como consequência direta.

Dessa forma, as linhas de financiamento imobiliário ficaram muito mais atrativas para o público. Taxas menores acabam levando a parcelas mensais menores.

Qual a taxa IPCA hoje?

A taxa IPCA muda mensalmente, sendo que a soma de todos os meses indica a variação anual de preços e, consequentemente, a inflação do período.  

Com o boom do mercado imobiliário, na metade dos anos 2010, a taxa IPCA chegou a 10,97%. Desde então, percebeu-se uma queda constante, até 2017. A partir daí, houve uma alta, mas os valores se mantiveram nos últimos dois anos.

A taxa IPCA 2019, por exemplo, fechou o ano em 4,31%. Já a taxa IPCA de 2020 sofreu grande influência da crise econômica, a partir de maio/20 os valores começaram a subir, mas a redução da taxa SELIC pelo governo acabou fazendo com a taxa de IPCA 2020 fechasse o ano em 4,52%.

A taxa IPCA hoje (março/2021) está em 0,93%, sendo que o acumulado do ano até agora é de 2,05%.

Por que comprar um imóvel em 2021?

A tendência é que os juros menores continuem em 2021, isso vai facilitar o pagamento de financiamentos imobiliários. Além disso, os preços dos imóveis estão defasados em relação a alguns anos. Essa combinação é interessante para os investidores, assim eles compram com preços melhores e pagam com uma taxa de juros mais atrativa.

Apesar do crescimento da taxa de juros, os investidores não precisam se preocupar, não existe uma previsão de que as taxas deem um salto nos próximos meses. Dessa forma, as condições dos financiamentos continuaram estáveis.

Além disso, os bancos e instituições financeiras podem demorar para repassar os reajustes para os consumidores. Isso porque, a taxa de inadimplência dos bancos está sob controle.

O mercado financeiro acredita que a taxa SELIC chegará a 4% até o final do ano. Entretanto, mesmo com o aumento, as taxas de juros ainda continuariam em um nível interessante para os consumidores. Principalmente, se compararmos com alguns anos atrás.

Não podemos esquecer que, com o aumento da procura de imóveis, os preços estão crescendo. Dessa forma, os valores cobrados esse ano não serão os mesmos nos próximos. Entretanto, não é necessário tomar nenhuma decisão apressada, já que os valores estão evoluindo em um nível racional.Diante desse cenário, comprar um imóvel em 2021 é um ótimo negócio para quem quer trocar de casa ou investir o seu dinheiro. Clique aqui e conheça nossos empreendimentos.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

Apartamento com Piscina, vale a pena?

Apartamento com Piscina, vale a pena?

18/10/2021 Leia agora Seta
Morar na praia é muito caro? 5 capitais brasileiras!

Morar na praia é muito caro? 5 capitais brasileiras!

04/10/2021 Leia agora Seta